Projeto Pescador Amigo
Monitoramento pesqueiro

O Projeto Pescador Amigo tem como objetivo ampliar o conhecimento sobre a interação das atividades pesqueiras com golfinhos e tartarugas marinhas. Aliada ao monitoramento e à pesquisa, também está a ação Caravana Pescador Amigo, realizada para capacitar e informar as comunidades pesqueiras sobre práticas de pesca responsável e empreendedorismo sustentável, procurando alternativas para preservar a convivência entre a pesca e os animais marinhos.

Pescador Amigo
Monitoramento Pesqueiro
Informação ao público
Eduacação ambiental

PMP Monitoramento de praias

O Biopesca é uma das instituições executoras do Projeto de Monitoramento de Praias da Bacia de Santos (PMP-BS) , atividade desenvolvida para o atendimento de condicionante do licenciamento ambiental federal das atividades da Petrobras de produção e escoamento de petróleo e gás natural no Pólo Pré-Sal da Bacia de Santos, conduzida pelo Ibama.
O Biopesca monitora diariamente 75 quilômetros de praias dos municípios de Praia Grande, Mongaguá, Itanhaém e Peruíbe. Já outras 12 instituições também executoras do PMP-BS percorrem outros trechos do litoral, desde Ubatuba (SP) até Laguna (SC). O objetivo é avaliar os possíveis impactos das atividades de produção e escoamento de petróleo sobre as aves, tartarugas e mamíferos marinhos, por meio do monitoramento das praias e do atendimento veterinário aos animais vivos e recolhimento dos mortos.

Monitoramento de praias

Pesquisas Acadêmicas

Além das atividades de monitoramento das atividades pesqueiras e de encalhe de animais marinhos, o Biopesca desenvolve e apoia diversas pesquisas e trabalhos acadêmicos, ampliando o conhecimento sobre a biologia e ecologia das espécies marinhas ameaçadas de extinção.
Conheça algumas pesquisas acadêmicas apoiadas pelo Biopesca:

Pesquisas

1. “Importância de reservas marinhas para ictiofauna: uma avaliação com o uso de BRUV’s”
Projeto de Doutorado. Aluna: Fernanda Andreoli Rolim. Orientador: Otto Bismarck.
CLIQUE PARA SABER MAIS

Esse estudo identifica as áreas de uso pelos peixes por meio de filmagens aquáticas realizadas com o equipamento Baited Remoted Underwater Video (BRUV) , técnica experimentada no Brasil pela primeira vez. Esse equipamento é formado por duas câmeras subaquáticas e uma barra, que suporta um saco de isca para atrair os peixes para o campo do registro. Os resultados obtidos serão comparados com a ictiofauna que ocorre na ilha do Mar Virado, aberta à pesca. As amostragens são realizadas em torno das ilhas das Palmas e das Cabras, em Ubatuba, e do Arquipélago de Alcatrazes, em São Sebastião, que formam a ESEC Tupinambás, uma significativa reserva marinha no Brasil porque abriga ictiofauna vulnerável ou em perigo de extinção. Além de responder qual é o grau de importância dessa reserva marinha para as espécies locais de peixe, o projeto também apresentará o valor da ESEC para a comunidade pesqueira, demonstrando sua relevância para a manutenção do estoque pesqueiro por meio de um guia de campo com informações sobre as espécies que habitam a região. Outro aspecto que merece destaque é o uso de metodologia não letal e não destrutiva das coletas de dados biológicos, cuja adoção merece incentivo.

2. “Helmintos gastrointestinais de toninhas, Pontoporia blainvillei (Cetacea; Pontoporiidae), do litoral de São Paulo, Brasil”
Projeto de Mestrado do Programa de Pós Graduação em Biodiversidade Aquática, Instituto de Biociências, Campus do Litoral Paulista – UNESP. Aluna: Camila Brandão Seabra. Orientadora: Profa. Dra. Carolina P. Bertozzi.
CLIQUE PARA SABER MAIS

Esse estudo tem por objetivo determinar a comunidade de parasitas gastrointestinais que compõem a fauna parasitária das toninhas, contribuindo para uma área de estudo que padece da escassez desse tipo de informação e, ainda, favorecendo a obtenção de dados sobre o status das populações de toninhas e da qualidade dos ecossistemas em que vivem.

3. “Ecologia alimentar da toninha, Pontoporia blainvillei (Cetacea;Pontoporiidae), no litoral de São Paulo, Brasil”
Trabalho de Iniciação Científica do Instituto de Biociências, Campus do Litoral Paulista – UNESP. Aluno: Victor dos Santos Luiz. Orientadora: Profa. Dra. Carolina P. Bertozzi.
CLIQUE PARA SABER MAIS

O principal objetivo deste projeto é analisar os aspectos ecológicos da dieta da toninha (Pontoporia blainvillei). A dieta deste golfinho costeiro é composta preferencialmente por peixes e lulas, mesmas espécies alvo da pesca. Portanto, o foco desta pesquisa é mostrar, a partir da composição da dieta da toninha, possíveis alterações de componentes alimentares, além de buscar descrever qualquer variação entre a composição alimentar entre diferentes faixas etárias deste mamífero.

Educação Ambiental
Sala de Educação Ambiental Biopesca

O Biopesca realiza ações de Educação Ambiental na Sala de Educação Ambiental, cedida pela Prefeitura Municipal de Praia Grande e localizada na Boutique dos Peixes, no Canto do Forte. Em funcionamento desde 2012, o espaço recebe centenas de pessoas mensalmente, na sua maior parte turistas que vêm de outros pontos do Brasil e até mesmo do exterior. A grande maioria dos visitantes é formada por crianças que, ao mesmo tempo que se divertem pintando desenhos com temas marinhos, aprendem sobre a importância da conservação dos mares e oceanos. Todos são recebidos por monitores ambientais, que explicam as características de animais marinhos e como é possível colaborar para protegê-los.

Educação ambiental
Educação ambiental
Educação ambiental


Ações para Sensibilização Ambiental (ASA)

O Biopesca ainda participa de eventos de educação ambiental realizados em escolas e equipamentos municipais de municípios do litoral paulista. Essas ações geralmente são realizadas em função de eventos comemorativos, a exemplo do Dia Mundial do Meio Ambiente, Dia dos Oceanos, aniversários das cidades e, principalmente, para sensibilização dos estudantes da rede pública de ensino.